Tipos de impermeabilização existentes no mercado

//Tipos de impermeabilização existentes no mercado

Tipos de impermeabilização existentes no mercado

Afinal de contas, a impermeabilização sela e veda materiais estruturais que compõem a construção, evitando a tão temida infiltração, que é uma verdadeira dor de cabeça quando aparece, não é mesmo?

Manchas, bolor, oxidação e deterioração de peças realmente não é algo bonito de se ver em um imóvel. Já até falamos sobre esse tema neste post aqui.

Por isso, saiba que a impermeabilização é classificada em dois tipos, cuja escolha depende de vários aspectos da construção e do ambiente em que se encontra o imóvel.

Vejamos, então, as características desses tipos de impermeabilização e quais são os materiais existentes no mercado para essa tarefa:

#1. Impermeabilização rígida

A impermeabilização rígida é um procedimento que adiciona aditivos químicos e agregados aos locais a serem trabalhados, sendo ideal para lugares que não estão sujeitos a movimentações (fissuras).

Na prática, esse tipo de impermeabilização deve ser aplicado onde não houver grandes variações de temperatura, porque ele funciona à parte dos elementos estruturais do imóvel.

Exemplos de locais que devem passar por uma impermeabilização rígida:

  • Muros de arrimo;
  • Piscinas enterradas;
  • Subsolos;
  • Poços de elevador;
  • Reservatórios de água enterrados;
  • Galerias de barragens e galerias enterradas;
  • Silos;
  • Moegas.

No mercado, você encontra vários materiais para a impermeabilização rígida, compostos por aditivos químicos para argamassa, argamassa industrializada e, até, misturas aplicadas em forma de pintura – formando um revestimento todo impermeável.

Exemplos de materiais para impermeabilização rígida:

  • Argamassas impermeabilizantes;
  • Resinas epóxi;
  • Cimentos poliméricos;
  • Cristalizantes.

#2. Impermeabilização flexível

A impermeabilização flexível é executada em lugares nos quais a estrutura está sujeita a trincas, movimentações, variações de temperatura e vibrações.

Exemplos de locais que devem passar por uma impermeabilização flexível:

  • Terraços;
  • Varandas;
  • Lajes mistas, maciças ou pré-fabricadas;
  • Pisos frios de cozinhas, banheiros e áreas de serviço;
  • Jardins;
  • Floreiras;
  • Calhas com dimensões grandes;
  • Piscinas suspensas ou apoiadas;
  • Reservatórios de água superiores;
  • Espelhos d’água.

No mercado, você encontra vários materiais para a impermeabilização flexível, compostos por um conjunto de produtos geralmente feitos à base de polímeros e elastômeros.

Na prática, eles são encontrados no formato de mantas, que são pré-fabricadas e podem ou não ser aderidas à estrutura, e também na forma de membranas, que podem ser moldadas no local e, depois de secas, formam uma membrana plástica que protege o ambiente.

Exemplos de materiais para impermeabilização flexível:

  • Manta asfáltica;
  • Mantas de PEAD, de PVC e de EPDM;
  • Membranas asfálticas moldadas no local;
  • Membranas de poliuretano;
  • Resinas acrílicas.

Bom, esses são os dois tipos de impermeabilização existentes no mercado. Geralmente, essas técnicas são bem simples de serem aplicadas, mas você precisa ficar atento em contratar uma equipe experiente para essa tarefa e que conheça os produtos que serão aplicados.

Se a sua obra for mais complexa, também é muito importante contar com um projeto específico de impermeabilização. Além disso, não deixe de contratar um profissional experiente nas técnicas indicadas no projeto para que possa acompanhar a execução dos trabalhos.

Ficou com alguma dúvida? Então deixe o seu comentário! Aproveite que já conhece os tipos de impermeabilização e saiba agora 5 motivos para você priorizá-la em sua obra. Até a próxima!

Por | 2018-09-25T15:28:34+00:00 28 agosto 2018|Impermeabilização|